Marcio da Silva, Advogado

Marcio da Silva

São Paulo (SP)
7seguidores18seguindo
Entrar em contato

Principais áreas de atuação

Direito Penal, 20%
Direito Processual Penal, 20%
Direitos Humanos, 20%
Direito Administrativo, 20%
Direito Constitucional, 20%

Comentários

(206)
Marcio da Silva, Advogado
Marcio da Silva
Comentário · há 3 anos
Não é possível que estamos vivendo esse momento, discriminação racial institucionalizada pelo Estado! Não podemos obrigar o enquadramento dos cidadãos em raças! Isso nunca deu certo, em nenhum momento histórico, em nenhum lugar do mundo. É só ler a análise do Dr. Demétrio Magnoli em "Gota de Sangue" ou Thomas Sowell em "Ações afirmativas pelo mundo".

Cota racial é política populista que tem como único intuito a perpetuação no poder de determinada classe política que se diz defensora dos direitos humanos. Todavia é claro o intuito, quando percebemos ao invés de investir maciçamente em educação básica, privilegia poucos e mantém o status quo da maioria.

De fato, implantar um sistema de cotas raciais, num país onde o grau de mestiçagem é altíssimo, como o Brasil, é ilógico. Aqui não é Estados Unidos. É só verificar o caso emblemático dos irmãos gêmeos, em que um foi considerado negro e o outro não pela Unb.

A solução, agora, é um tribunal racial, onde terceiros irão definir a tua raça? Já vi isso antes, em um momento tenebroso da história mundial, não foi bom. Quer dizer, você pode se achar pardo, mas se no dia da entrevista estiver mais pálido de nervoso, ou mesmo alguém não for com a tua cara, você poderá ser "sentenciado" como branco? Há um certo movimento que inclusive defende a criminalização dos que "fraudarem" as cotas.

A tal "comissão de verificação com relação à autodeclaração" parece aqueles órgãos nazistas que verificavam o fenótipo de supostos judeus! É absurdo. E quem disse isso não fui eu, mas o Procurador Cabeleira, que usou esse mesmo exemplo.

E os casos em que a família inteira é negra/parda e o filho nasce branco? Quer dizer, a pessoa teve todas as condições sociais de uma família negra, todavia, não poderia, em tese, concorrer às vagas.

O ideal seria um critério puramente social, onde a inclusão de mais pessoas negras e pardas, que realmente não tiveram condições de estudos, seriam automaticamente beneficiadas.

Pelo sistema atual, na questão de inclusão racial, somente os negros e pardos com condições sociais melhores têm oportunidade. O pobre, independente da raça, será excluído.

Nivela por cima, não inclui os mais pobres. É mudar para continuar tudo igual.
Em suma, o sistema não inclui satisfatoriamente, haja vista casos como o do Itamaraty, negros e pardos, não inclui pobres, não funciona!!!

Recomendações

(431)

Perfis que segue

(18)
Carregando

Seguidores

(7)
Carregando

Tópicos de interesse

(21)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em São Paulo (SP)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Marcio da Silva

Entrar em contato